Técnica Vocal: Curso Volume – relaxamento

Como turbinar o volume da sua voz em 5 passos

Vocal coach Daniele Krauz explica 5 dicas simples de como aumentar consideravelmente seu volume para cantar ou mesmo falar em público.

 

Relaxamento

A primeira coisa que você precisa lembrar é que o som só é produzido com ar. É o ar que você armazenou nos pulmões passando pelas pregas vocais que vai produzir o som. Toda a musculatura dos ombros e pescoço tem que permanecer completamente relaxada pra não obstruir a passagem do ar.

Como a voz é produzida pela passagem de ar pelas pregas vocais, que são músculos, precisamos ter o cuidado de relaxar e aquecer essa musculatura antes de cantar. Pode parecer simples, mas nenhum cantor negligencia essa fase para não sofrer danos durante a apresentação ou ensaio. E quando se focaliza em aumentar o volume da voz essa parte da preparação é ainda mais importante, pois não apenas a garganta, mas toda a musculatura do pescoço, rosto e peito deve estar relaxada para que o som flua com liberdade. Quanto mais tensão maior esforço e consequentemente cansaço e rouquidão.

Cantar com os músculos da garganta tensos acarreta lesões que podem evoluir seriamente e podem mesmo levar até a perda parcial da voz se não tratados a tempo.

Os exercícios explicados a seguir irão garantir que toda a musculatura envolvida na projeção do som esteja relaxada o bastante para que o som se expanda sem bloqueios e você consiga cantar com leveza, independente do tom. O som nunca deve ser produzido com esforço. É um erro pensar que você precisa forçar o som para alcançar notas agudas, por exemplo. Se a nota está dentro do alcance da sua voz você deve se ocupar em fazer com que essa nota soe totalmente livre.

 

A respiração para produzir som é diferente da respiração usada na pratica esportiva. Devemos concentrar a atenção no diafragma, que fica abaixo das costelas. Esse músculo é o responsável por puxar o ar para dentro dos pulmões e empurrá-lo para fora. Quando exercitamos o diafragma o bastante para termos controle consciente de seu movimento podemos dosar a quantidade e a forma como o ar entra e sai dos pulmões enquanto cantamos.

Respiração Hara

Essa respiração vem da esfera das disciplinas japonesas e se refere ao abdômen como suporte principal do ponto energético ki a ser procurado cerca de 3 centímetros abaixo do umbigo. “Hara” e a palavra japonesa que significa “abdômen”. Segundo a concepção oriental, um homem sem Hara é um homem inconstante.

Colocamos as mãos sobre o abdômen e inspiramos lentamente até estarmos agradavelmente cheios de ar. Fazemos uma pequena pausa e expiramos de boca entreaberta e com a ajuda de um prolongado “ffff”. Enquanto isso, o abdômen deverá estar totalmente relaxado, só retornando à sua posição inicial no fim da expiração. Durante a expiração, imaginamos uma bola de chumbo que desce interiormente para o fundo da bacia. Nos parecemos, por um curto espaço de tempo, com a figura acentuadamente barriguda de uma estátua de Buda. Essa respiração alivia o cansaço e concentra energia, provoca libertação do medo, eliminação de cólicas e dores abdominais. Então além de estar exercitando a capacidade respiratória e o controle do diafragma você vai estar trabalhando o autocontrole e relaxamento, que ajudarão durante uma apresentação a manter a calma e concentrar-se totalmente na música.

 

 

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *