Técnica Vocal: Curso Volume – articulação

Como turbinar o volume da sua voz em 5 passos

Vocal coach Daniele Krauz explica 5 dicas simples de como aumentar consideravelmente seu volume para cantar ou mesmo falar em público.

 

O segredo: Ressonância e projeção

 

Agora que a sua voz já está preparada para entrar em ação vamos às dicas que você está esperando. Vamos trabalhar dois conceitos que às vezes são considerados como uma coisa só. Na verdade eles são extensões de uma mesma ação por isso são interdependentes: a ressonância e a projeção do som.

Ressonância é a amplificação do som gerado na laringe pela vibração das pregas vocais. Ao passar pelas pregas vocais o ar produz som, quando articulamos esse som com os lábios e a língua criamos a fala e o canto.

O som pode ser dirigido para áreas especificas no corpo chamadas caixas ou cavidades de ressonância, que estão principalmente na cabeça onde o som pode circular, ser modulado e aumentar de volume antes de ser projetado. Para a técnica vocal (o canto), precisamos dar especial atenção aos ressonadores da face. Na prática o som precisa ressoar na parte da frente da boca, na face e até mesmo no crânio, em casos de sons bem agudos, as notas mais graves também ressoam no peito. Quando a voz ressoa na garganta não tem brilho, corpo nem potência, mesmo que tenha um timbre bonito. É necessário identificar essas áreas em seu corpo e dominar a passagem de uma região a outra sem perder a qualidade do som.

A projeção da voz se aplica ao alcance do som depois de moldado nas caixas de ressonância, depois de reconhecer os pontos de ressonância em seu corpo e ser capaz de passar de uma região a outra conforme as necessidades.

Preste bastante atenção na maneira como você usa a língua e o quanto você abre a boca para baixo, não abra a boca para os lados para não perder o controle sobre o som e não deixar que fique estridente. A função destas dicas é dominar a maneira como o som se espalha pelas áreas de ressonância e a direção que se dá ao som quando sai da boca.

 

  1. Articulação

Este exercício serve para conseguir mais agilidade na articulação das silabas, abrindo bem a boca para que o som tenha condições de ser projetado no ambiente. Exagere na abertura da boca, sempre para baixo e tome cuidado com a posição da língua, ela não pode ficar erguida na parte de trás. As vogais devem ser articuladas com os lábios e a ponta da língua, não se preocupe se o som não ficar claro no começo e o I ou o E soarem mais como U, conforme você vá se acostumando com o som vai conseguir articular todas sem dificuldade mesmo com a boca aberta como se fosse dizer O.

Articular A/E/I/O/U, forçando o diafragma, no mesmo tom e com calma, abrindo bem a boca para baixo.  Lance o som para um ponto na parede e vá se distanciando aos poucos, aumentando o volume. Projetar o som em um canto da parede facilitará para que você ouça o som voltando para você. Lembre-se de usar todos os exercícios acima, mantenha controle do diafragma e respire fundo, calcule bem a quantidade de ar que você tem para projetar o som. Explore as regiões de ressonância e abra bem a boca para que o som possa sair sem barreiras. Experimente mudar de tom, você perceberá que a região de ressonância tende a mudar automaticamente, lembre de manter o som sempre na frente da boca, não deixe que fique no fundo da boca.

  1. Contagem

Usando o mesmo cuidado do exercício anterior, porém deitado, encher os pulmões e contar até cinco de vagar, lançando o som para o teto. Focalize um ponto no teto e imagine o som como um laser chegando até lá. Inspirar em 4 tempos e contar até 5, inspirar em 6 tempos e contar até 8, inspirar em 8 tempos e contar até 10. Repetir o exercício 5 vezes. Você pode inclusive ir aumentando a contagem conforme vai conseguindo mais firmeza e sua respiração aumenta. Mas lembre-se de nunca exagerar, o aumento deve ser gradativo e sempre tem que sobrar um pouquinho de ar.

 

 

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *