Experiêncial pessoal: Inteligência Musical

Abordagem IM-Interdisciplinar

As atividades com músicas são as melhores para desenvolver o método interdisciplinar. Consegue-se abranger vários tópicos ao mesmo tempo, assim como envolver estudantes de níveis diferentes.

Desenvolvendo a inteligência musical

No ensino de língua estrangeira em especial, é possível usar muitas habilidades ao mesmo tempo. Muitos métodos de ensino desenvolvem algumas habilidades apenas mas quando se junta a interdisciplinaridade e as Múltiplas Inteligências o trabalho se completa de uma maneira espetacular.  

Na aquisição de minhas duas primeiras línguas estrangeiras eu pude aplicar as técnicas mais propícias para minhas inteligências proeminentes. Como sou extremamente auditiva o uso de músicas foi crucial, da mesma maneira ouvir as aula totalmente na língua alvo foi o que bastou para que eu as adquirisse sem grandes esforços. Me recordo em especial de minha primeira professora de espanhol, Irmã Chelo, uma castelhana de sotaque lindíssimo, que foi um modelo.

Aconselho a meus alunos musicais que procurem modelos para conseguirem uma fluência bonita na língua alvo. Imitar um falante nativo faz com que sua fale seja mais convincente. Devo acrescentar como exemplo que em Toronto não acreditavam que eu fosse brasileira por conta da qualidade de meu sotaque. Isso significa que minhas técnicas funcionam.

Já no estudo de alemão não tive a mesma oportunidade. Em Guarapuava não encontramos boas músicas em alemão, e o meu contato musical com essa língua é apenas nas composições de Bach que estudo em canto lírico. Da mesma forma não tive tantas aulas totalmente em alemão. Para a inteligência musical ouvir e falar é fundamental, mais importante do que escrever.

Minha inteligência musical é usada de forma interdisciplinar para desenvolver outros tipos de  habilidades. A música é o exercício que tanto eu quanto meus alunos consideramos o mais completo.

Através do estudo do canto se exercita a audição, a pronúncia, entonação, ritmo e memorização de forma implícita e até inconsciente. Porém a música oferece muitos outros recursos de trabalho. Pode-se, e deve-se, fazer uma boa análise da letra da música escolhida, mesmo músicas infantis têm algumas mensagens importantes. Eu sempre fui totalmente contra o uso constante daquelas canções do tipo ‘little indians’ como única fonte de estímulo musical infantil. Todas as crianças devem ter contato com ótimos compositores, pode-se trabalhar apenas um refrão ou uma estrofe de uma canção, mas ela tem ter conteúdo reflexivo também.

Algumas músicas que usei produziram algumas interpretações interessantes como ‘I still haven’t found what I’m looking for’ e ‘What a wonderful world, com esta última produzimos um material sobre o que faz do mundo um lugar maravilhoso ou não e o que podemos fazer para ajudá-lo, enfocando there to be e can. Este material pode ser  enviado por e-mail aos interessados.

O trabalho com o canto também deve ser aproveitado para trabalhar respiração profunda. Para quem não tem muita intimidade com exercícios de respiração para cantores pode usar exercícios básicos do yoga. A importância da respiração correta é evitar sérios problemas nas cordas vocais e superoxigenar o cérebro, o que faz com que ele funcione melhor. A música também ajuda os estudantes a controlarem o volume da voz , o que evita surdez precoce do professor e dos colegas.

A dedicação ao ensino de canto é uma maneira agradável e fácil para trabalhar pronúncia, ritmo, entonação e memorização em línguas estrangeiras.

Todos os alunos já fizeram pequenos shows em nossas formaturas e outras apresentações.

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *